ARTE CONCEITUAL - INSTALAÇÃO


Criada nos anos 60 por Joseph Kossuth a partir das idéias de Marcel Duchamp, a arte conceitual parte do princípio de que o simples deslocamento dos objetos de seu contexto habitual pode provocar uma reação reflexiva do observador. A combinação de alguns elementos sugere idéias; em Uma e três cadeiras (1965), por exemplo, Kossuth propõe uma discussão sobre os limites da linguagem contrapondo uma cadeira (o objeto tridimensional), uma foto de cadeira (sua tradução bidimensional) e a palavra cadeira (sua versão simbólica). A arte conceitual gera, nos anos 70, o conceito de "instalação" - um arranjo cênico de objetos, que vem a se tornar a linguagem predominante da arte no fim de século. Variante da arte conceitual é a land art (arte da terra), dos ingleses Richard Long e Robert Smithson, que intervêm em formas da natureza, colocando, por exemplo, círculos de pedra numa clareira de floresta.

Arte Conceitual e conceitualismos nos Anos 70

É bom que se diga que são muitas as definições de arte conceitual, havendo significativas diferenças entre o que se convencionou chamar arte conceitual na Europa e Estados Unidos. No entanto, observamos elementos significativos que distinguem a produção brasileira do período. Nos difíceis anos 70, talvez tenha sido a arte conceitual que mais tenha facilitado a participação de artistas, especialmente latino-americanos, no sistema internacional de circulação de informações artísticas. São interessantes também, nesta perspectiva, as evidentes aproximações entre o conteúdo das poéticas de artistas brasileiros e aqueles do Leste Europeu.
Ao deixarmos em suspenso as narrativas dominantes, e partirmos para a investigação de um conjunto de trabalhos, optamos por observar com mais atenção as estratégias utilizadas pelos artistas na elaboração de suas obras. Ressalta-se então a preponderância da idéia sobre o objeto, uma atitude crítica frente às instituições (museus e galerias), assim como a utilização de meios e materiais precários.

Instalação em escola

2 comentários:

Rita disse...

Olá professora Marília, meu nome é Rita Bareia sou professora de arte do estado de São Paulo, achei muito interessante sua iniciativa em criar este site,parabéns!!!!!

EDNA STORINO disse...

Olá profa. Marilia!
Gostei muito do tema, sou profa. de Arte do Oswaldo Toschi -Praia Grande e também sou edublogueira e tenho um blog como recurso pedagógico e publicação de trabalhos de alunos, nosso endereço:
www.profednastorino.blogspot.com

Postar um comentário